#Venezuela #6D Por que não foi publicado nos meios de comunicação internacionais?

 

A oposição venezuelana participa diretamente e endossou sem objeções as 19 auditorias realizadas até agora no sistema eleitoral tendo em vista as eleições parlamentares no domingo 6 de dezembro. Seus técnicos, especialistas com credenciais inquestionáveis e selecionados pelos próprios partidos da oposição, estão credenciados também para as quatro auditorias restantes, do total de 23 que o Poder Eleitoral estabeleceu para este processo na Venezuela. Esta notícia não foi publicado nos meios de comunicação internacionais.

Continuar lendo

Missão de Acompanhamento Eleitoral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) estará presente em 11 estados venezuelanos

 

Missão eleitoral da Unasul será implantada em 11 estados venezuelanos Um conjunto de 40 especialistas da Missão de Acompanhamento Eleitoral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) estará presente em 11 estados venezuelanos durante as eleições parlamentares, anunciou o coordenador-geral da referida organiza- ção internacional, José Luis Exeni . “Essa será a missão mais importante da Venezuela até o momento”. A delegação visitará o Distrito Capital e os estados de Miranda, Aragua, Carabobo, Vargas, Lara, Bolívar, Monagas, bem como os fronteiriços Táchira e Zulia, “para ter uma visão geral do processo em diferentes territórios”. O acompanhamento eleitoral -de acordo com o Regulamento Geral do Processo da Lei Orgânica de Processos Eleitorais – tem o propósito de presenciar de maneira imparcial e independente a transparência dos processos eleitorais na Venezuela, com respeito à soberania, autodeterminação dos povos e à não ingerência. A realização de informes técnicos e recomendações são tarefas inerentes ao acompanhamento internacional. Exeni ratificou o compromisso da missão de “fazer um relatório tecnicamente impecável”, no qual traduzirão suas observações acerca das diferentes fases do processo eleitoral, incluindo as diferentes auditorias ao sistema automatizado, o treinamento de mesários e a campanha eleitoral. Durante esse tempo eles conversaram com os técnicos das diferentes organizações políticas, “que tem muita confiança e muita certeza sobre a automatização do processo da Venezuela, que tem sido aperfeiçoado, consolidado e auditado em diferentes momentos”. Exeni, que é porta-voz do Supremo Tribunal Eleitoral boliviano, também destacou a necessidade de que os partidos respeitem os resultados. “Mantemos o nosso princípio de que todos nós devemos fazer o nosso melhor para ir a esta eleição de maneira pacífica, garantindo que os cidadãos possam expressar livremente o seu voto, que a divulgação dos resultados também seja tranquila e todos aceitem os resultados”, disse. Acrescentou: “a democracia venezuelana será a única responsá- vel pela maneira soberana de mostrar sua consistência no domingo e é o povo que irá mostrar, esperamos da comunidade internacional sua profunda vocação democrática”.( Fonte: AVN)

Nicolás Maduro tem apoio de 60% da população, apontam pesquisas

O cientista político e presidente da empresa venezuelana de pesquisas Hinterlaces, Óscar Schemel, assegurou que 60% da população prefere que o governo de Nicolás Maduro tome um novo impulso no país ao invés de uma vitória da direita nas eleições parlamentares que acontecem no próximo domingo (6).

 

Telesur

Pesquisas eleitorais mostram crescimento da coalizão de esquerda Grande Polo Patriótico

Pesquisas eleitorais mostram crescimento da coalizão de esquerda Grande Polo Patriótico

 

Segundo Óscar, mais da metade da população aposta na continuidade do modelo de inclusão e justiça social da atual gestão e acredita que este caminho pode consolidar a economia produtiva do país.

O analista afirmou ainda, em entrevista à imprensa local, que apenas 30% da população é a favor de um governo de direita. Explicou que o “chavismo” é um símbolo poderoso que já se consolidou na cultura da Venezuela e a maioria do povo venezuelano está de acordo com as ideias impulsionadas por Hugo Chávez.

Com relação às pesquisas eleitorais realizadas para as eleições de domingo (6), afirmou que as forças de esquerda veem ganhando mais força no decorrer dos dias. Apontou ainda que uma falha da direita é não ter encontrado uma estratégia para conquistar o voto das pessoas mais humildes.


De acordo com dados da empresa de pesquisas Hinterlaces, presidida por Óscar, apenas 30% dos venezuelanos apoiam uma mudança política para a direita

As eleições parlamentares acontecem no próximo domingo (6), quando os venezuelanos vão eleger 167 deputados para o período de 2016 a 2021, destes, três serão representantes das comunidades indígenas. No decorrer do processo eleitoral foram feitas várias simulações eleitorais para garantir segurança e tranquilidade no dia da votação. A Unasul está em missão no país a fim de contribuir para a manutenção da democracia.

Do Portal Vermelho, com informações da Telesur

Educação Especial em Cuba: uma bela obra, que o bloqueio não conseguiu afastar do coração

Por: Otilia Raisa Martin Wolf 

A educação especial tem sido  afetada pelo bloqueio que mais de 50 anos, o governo dos Estados Unidos mantém contra Cuba. Esta política tem causado enormes prejuízos materiais para Cuba, alem dos esforços do governo cubano para continuar a tarefa nobre, é uma obra de amor infinito.Um exemplo disso é a escola especial 14 de junho Guantanamo.

“O desafio cardeal desta escola especial, é reabilitar os alunos com necessidades educativas especiais e, em seguida, incorporá-las na sociedade.” Então Dagmaris Bosch diz Soler, Doutor em Ciências Pedagógicas e desde a sua fundação, diretor do centro de estudo onde 175 crianças com necessidades educativas especiais, incluindo dois cegos, baixa visão 34, 99 estrabismo e ambliopia, 3 surdos-cegos e surdos 37 e com dificuldade de audição de toda a província oriental, incluindo as áreas das montanhas.

Continuar lendo

Congresso boliviano aprova projeto para reeleição de Evo Morales

Antigo representante dos agricultores produtores de folha de coca, Evo Morales é o primeiro presidente ameríndio da Bolívia (Telesur)

O parlamento boliviano aprovou no sábado (26) uma reforma parcial na Constituição, que vai ser referendada em fevereiro de 2016, que permitirá ao presidente Evo Morales recandidatar-se pela terceira vez em 2019.

No final de um debate que durou 18 horas, o Parlamento aprovou, com dois terços dos votos, a alteração constitucional que vai permitir duas reeleições consecutivas do presidente, em vez de uma.

Evo Morales, 55 anos, é o presidente há mais tempo em exercício na América Latina. Ele foi eleito no final de 2005, com 54% dos votos, reeleito no final de 2009, com 64%, e eleito de novo em 2014, com 61% dos votos. O atual mandato termina em 2020, e as eleições estão previstas para o final de 2019.

A oposição, fragilizada pela sua falta de unidade, considerava que Evo Morales não podia se recandidatar em 2014 porque a Constituição não permite, desde 2009, mais do que dois mandatos consecutivos. O Supremo Tribunal da Bolívia considerou em 2013 que o primeiro mandato de Morales não contava porque a nova regra constitucional não estava ainda em vigor.

Do Portal Vermelho, com agências