Deputados destacam legado da Revolução Russa

via Blog do Renato Rabelo

SESSÃO SOLENE REVOLUÇÃO DE OUTUBRO - 25-10-2017

A Revolução de Outubro de 1917 foi tema de sessão solene na Câmara dos Deputados

Assim como na Revolução Francesa, a reorganização da sociedade russa adveio dos desejos populares por mais participação, mais democracia, mais oportunidades e menos privilégios às classes dominantes na Rússia do Czar.

Para o deputado comunista Daniel Almeida (BA), muito do que se tem hoje de direitos foram inspirados e construídos a partir da experiência da União Soviética. “Portanto, comemorar 100 anos é resgatar essa possibilidade do novo, do revolucionário. Resgatar o sonho, da utopia se materializar”, enfatizou o parlamentar.

A forte presença das mulheres nas mais diversas lutas da história foi exaltada por Ana Maria Prestes, doutora em Ciência Política e representante da Fundação Maurício Grabois. “Já em 1917, Alexandra Kollontai era na época a única mulher membro do Comitê Central do Partido. E ela deixou uma pauta, uma agenda que nós mulheres do século 21 ainda tateamos. Em pouco tempo, ela fez com que a mulher russa tivesse direito ao aborto, ao divórcio civil, direito ao trabalho”.

Alexandra Mikhailovna Domontovich nasceu, em 31 de março de 1872. Foi figura histórica nas lutas das trabalhadoras russas por seus direitos, contra a exploração capitalista, o conservadorismo e o machismo.

De acordo com a presidente nacional do Partido Comunista do Brasil, deputada Luciana Santos (PE), a atualidade da resistência socialista está demonstrada na incapacidade do capitalismo de resolver as mazelas da desigualdade. “Nós vivemos o mundo da guerra, da concentração de renda, de bilhões que vivem abaixo da linha da pobreza. De um mundo em que o capital especulativo representa três vezes o PIB (Produto Interno Bruto) de todas as nações”.

“É um sistema que vem perdendo na geopolítica a sua força unipolar e criando vários pólos, entres eles a experiência do socialismo nos países em que esse está se desenvolvendo. Num momento como esse legados e lições precisam cada vez mais ser afirmadas”, disse Luciana.

O surgimento do socialismo alimentou no Brasil e no mundo a esperança de um futuro livre da exploração, da opressão e da miséria. A experiência soviética teve repercussão em todo planeta e impactou a formação dos Partidos Comunistas em todos os países, inclusive a criação do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), fundado em 1922.

Entre as ideias poderosas que atravessaram o século passado, o socialismo apresentou ao mundo os princípios para a formação dos direitos sociais e dos trabalhadores. A Revolução Russa de 1917 foi responsável pela ruptura com o capitalismo, apresentando uma nova configuração do Estado que estivesse à serviço e fosse controlado pelo povo.

Fonte: PCdoB na Câmara

Promessas não cumpridas: a manutenção do campo de detenção da Baía de Guantánamo na era Obama

guantanamo-map

por Marília Souza

Introdução

A prisão de Guantánamo, reativada em 2002 no âmbito da Guerra ao Terror sob a administração de George W. Bush tem sido um tema sensível na agenda de Obama, pois o encerramento das atividades na Baía foi uma de suas principais promessas de campanha. Desde sua abertura, já passaram por Guantánamo 775 prisioneiros sem acusação formal, sem processo constituído e, obviamente, sem direito a julgamento.

Porém, encerrar Guantánamo está se tornando uma tarefa cada vez mais árdua, ao passo que senadores e congressistas norte-americanos propõem uma legislação que torna a excepcionalidade de Guantánamo cada vez menos excepcional, e assim, alargam-se os casos em que a detenção sem julgamento é permitida e afrouxam-se os freios que separam a regra da exceção.

As condições dos presos mantidos no campo de Guantánamo sempre foram motivo de indignação internacional e alvo de duras críticas, tanto por parte de governos quanto de organizações humanitárias internacionais. O presente artigo tem por objetivo congregar denúncias e recomendações de ONGs e instituições internacionais dirigidas ao governo norte-americano, a fim de reforçar o fato de que o tema persiste sem resolução por parte do governo Obama e seguirá como agenda sensível para o seu sucessor.

Continuar lendo

#Venezuela #6D Por que não foi publicado nos meios de comunicação internacionais?

 

A oposição venezuelana participa diretamente e endossou sem objeções as 19 auditorias realizadas até agora no sistema eleitoral tendo em vista as eleições parlamentares no domingo 6 de dezembro. Seus técnicos, especialistas com credenciais inquestionáveis e selecionados pelos próprios partidos da oposição, estão credenciados também para as quatro auditorias restantes, do total de 23 que o Poder Eleitoral estabeleceu para este processo na Venezuela. Esta notícia não foi publicado nos meios de comunicação internacionais.

Continuar lendo

Em nota, MST repudia tentativa de golpe contra a presidente Dilma

Em nota, MST repudia tentativa de golpe contra a presidente Dilma

O Movimento repudia o comportamento do deputado Eduardo Cunha e afirma que o mesmo não tem legitimidade moral, ética ou política de propor o impedimento da presidência da república.

 

Da Página do MST
No último período, o país tem vivenciado uma crescente onda conservadora no Congresso Nacional que na figura do deputado Eduardo Cunha (PMDB/RJ), então presidente da Câmara dos Deputados, tem orquestrado uma série de ações que promovem a retirada de direitos da classe trabalhadora, cuja ofensiva se desembocou na autorização da abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff nesta quarta-feira (02).
Posto isso, o Movimento notadamente lança sua posição oficial diante da atual crise política e reafirma seu compromisso de lutar em defesa da democracia e do respeito ao voto.
“Repudiamos o comportamento do deputado Eduardo Cunha e afirmamos que ele é reflexo da aliança explícita entre a mídia empresarial, liderada pela Rede Globo, seguida por partidos políticos, tendo o PSDB como expoente. E que não tem legitimidade moral, ética ou política de propor o impedimento da presidência da república”, afirma em trecho da nota.
Como principal articulador da tentativa de golpe que coloca em xeque um processo eleitoral democrático deste país, o MST reafirma a luta pelo Fora Cunha! E convoca à todos e todas para se somarem.
“Convocamos toda a militância e toda a classe trabalhadora para lutar pela cassação do mandato e prisão de Eduardo Cunha. Entendendo que somente com as reformas estruturais podemos colocar Brasil em um novo patamar de democracia e justiça social.”

Continuar lendo

Volveremos, como hicimos siempre.

Por:  ADRIÁN PAENZA.

El pueblo nunca se equivoca, ni siquiera cuando se equivoca.

Nosotros no despreciamos.

Nosotros no odiamos.

Nosotros no tiramos bombas.

Nosotros no hacemos golpes de Estado.

Nosotros respetamos lo que las mayorías eligen, aun cuando creamos que las mayorías eligieron mal.

No va a pasar nada que no conozcamos.

El país del saqueo y la alegría boba

El país de la pobreza y el sálvese quién pueda

El país que se arrodilla ante las potencias

El país que gobernó este país hasta el 2003.

Hicimos lo mejor que pudimos hacer, si no lo hicimos mejor es porque no estuvimos a la altura de las circunstancias.

Hacer autocríticas públicas ahora es dar de comer a los que hoy festejan

No hacer autocríticas en privado es de necios. Echarle la culpa al pueblo es de falsos ilustrados.

Hoy hay que aguantar los trapos.

No le regalemos a los adversarios nuestras tristezas.

Firmes y dignos.

Volveremos, como hicimos siempre.

 

ADRIÁN PAENZA. Profesor de matemàticas