Declaração da Rede em Defesa da Humanidade – Cuba em apoio ao jornalista Carlos Aznárez

resumenmediooriente

 

O capítulo cubano da Rede em Defesa da Humanidade vem prestar sua solidariedade e compromisso com nosso companheiro Carlos Aznárez,  ao mesmo tempo que convoca todos os homens e mulheres defensores da liberdade e dos direitos humanos que se unam a essa ou outra convocação similar e, todos juntos, façamos da causa de Carlos não somente nossa bandeira, mas uma arma mais eficaz na luta para denunciar os que procuram, inutilmente, silenciá-lo com o velado propósito de calar toda a humanidade.

Em agosto de 2014 a população civil palestina sofreu os ataques mais impiedosos do exército israelense, cuja superioridade tecnológica e material provocou cenas verdadeiramente dantescas que deram a volta ao mundo e foram ampla e solidariamente divulgadas nas redes sociais.

A Rede em Defesa da Humanidade se pronunciou na ocasião por diversos meios e sua declaração mais importante foi encabeçada, entre outras proeminentes personalidades, pelos companheiros Fidel Castro e Evo Morales.

Crianças, mulheres e idosos foram as principais vítimas da tragédia. O mundo assistiu a um ato de barbárie classificado como genocídio continuado pelas vozes mais honestas e pelos governos mais progressistas da comunidade internacional.

Apesar da desinformação e da manipulação que caracterizam a indústria midiática do capitalismo hegemônico, as notícias conseguem ser divulgadas graças à honestidade e integridade de jornalistas que se sentem no dever de investigar, informar e transmitir sua denúncia; enfim, de não serem cúmplices, com seu silêncio, do massacre e da injustiça.

A operação militar israelense na Faixa de Gaza destruiu escolas, abrigos, e outros objetivos civis e causou, mais uma vez, a morte de pessoas inocentes, em flagrante violação do direito internacional.

Há alguns dias recebemos a surpreendente notícia de que o companheiro Carlos Aznárez, jornalista e diretor há 22 anos da agência  de comunicação Resumen Latinoamericano  teria sido acusado pela  Delegación de Asociaciones Israelitas Argentinas de “organização e propaganda discriminatória” por ter participado de uma atividade solidária com o povo palestino e por ter contribuído para difundir a verdade.

Seria cômico, se não fosse tão vergonhoso e repugnante, que se pretenda condenar por discriminatório um ato tão justo como o de rechaçar a criminosa agressão israelense ao território de Gaza e se tente processar um jornalista honesto por exercer dignamente sua profissão e seus direitos como cidadão.

O capítulo cubano da Rede em Defesa da Humanidade vem prestar sua solidariedade e compromisso com nosso companheiro Carlos Aznárez,  ao mesmo tempo que convoca todos os homens e mulheres defensores da liberdade e dos direitos humanos que se unam a essa ou outra convocação similar e, todos juntos, façamos da causa de Carlos não somente nossa bandeira mas uma arma mais eficaz na luta para denunciar os que procuram, inutilmente silenciá-lo com o velado propósito de calar toda a humanidade.

 

 

Anúncios

Deje su comentario - Deixe seu comentário - Leave your comment

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s