Em busca de alternativas de cooperação #UE-CELAC

Fonte: Cuba por Siempre

2cadndice
 A II Cúpula Acadêmica CELAC-União Europeia (UE) começou nesta segunda-feira, a fim de ampliar e aprofundar o espaço para o ensino superior, a ciência, a tecnologia e a inovação.

O encontro, ocorrido antes da II Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e do Caribe (CELAC)  e UE nos dias 10 e 11 de Junho, incentivou o trabalho conjunto para avançar e consolidar estas iniciativas em matéria de ensino superior.

Neste contexto, Cuba, presente no encontro na capital da Bélgica, clamou pelo reforço na cooperação entre as universidades dos países da CELAC e da UE.

“Queremos transcender da teoria para a prática e que possamos concretizar mais projetos em áreas de interesse comum”, declarou o reitor da Universidade da província cubana de Camagüey, Santiago Lajes Choy, em sua intervenção durante o fórum.

Enquanto a reitora da Universidade Agrária de Havana, Maria Irene Balbín, referiu-se às possibilidades deste encontro para promover a cooperação em ensino superior, a formação de profissionais, a investigação e a inovação tecnológica.

Roberto Escalante, secretário-geral da União de Universidades da América Latina e do Caribe, disse que ambas as regiões têm realidades diferentes, mas existem áreas de interesse comum, como a luta contra as alterações climáticas e pela segurança alimentar.

A Cúpula Acadêmica possibilitou para as comunidades acadêmicas das duas regiões, trabalharem a fim de avançar e consolidar as propostas geradas na Cúpula anterior, realizada em janeiro de 2013 em Santiago do Chile.

Nas linhas traçadas na capital chilena, estão propostos quatro grupos de análise temática, entre eles o fortalecimento da integração birregional dos sistemas de educação superior, que incluem subtópicos como os valores universais e a diversidade cultural. Outra linha é a promoção da integração birregional dos sistemas de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, centrada na universidade como promotora da inovação e da criatividade, com foco no desenvolvimento sustentável.

A cooperação birregional entre as instituições de ensino superior e suas relações com a sociedade, particularmente com o setor produtivo; a inovação e os direitos de propriedade intelectual; são outros dos eixos. Além disso, as tecnologias como facilitadoras e promotoras, bem como o papel social das universidades no século XXI. Da mesma forma, as ligações entre a comunidade acadêmica e as políticas públicas, incluindo aspectos como a educação para a inclusão social: pedagogia pré-escolar e pré-universitária, a formação de professores e a formação permanente.

Os resultados dessas deliberações serão apresentados aos Chefes de Estado e de Governo durante a II Cúpula da CELAC-UE através de um documento que conterá as ideias e propostas da comunidade acadêmica, com vistas a avançar neste espaço comum e consolidar a parceria estratégica birregional.

Esta semana, Bruxelas é o palco onde a região latinoamericana e caribenha, juntamente com a União Europeia, pretendem dar um novo impulso em suas relações, em um contexto muito diferente ao de 15 anos atrás.

Aproximadamente 40 Chefes de Estado e de Governo e delegações de alto nível de 61 países devem participar desta cúpula, que se realiza no Justus Lipsius, sede do Conselho da UE. (Cubaminrex / PL)

Tradução: Juliana MSC

Anúncios

Deje su comentario - Deixe seu comentário - Leave your comment

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s