Realiza-se, em Bruxelas, a II Cúpula UE-CELAC

EU-CELAC-2015

A presidenta Dilma Rousseff viajou no começo da tarde de hoje para Bruxelas, na Bélgica, onde participa da II Cúpula da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos – a CELAC – com países da União Europeia.

A Cúpula UE-CELAC tem o objetivo de aproximar posições políticas desses países em torno de questões da agenda global – como as mudanças climáticas e os direitos humanos – além, é claro, de impulsionar as relações comerciais entre eles.

Alguns acordos comerciais já assinados por 26 dos 33 países da CELAC com a União Europeia também serão abordados pelos representantes de cada país durante esta cúpula, que vai até a próxima quinta-feira, dia 11.

Este segundo encontro entre as duas grandes regiões, depois de janeiro de 2013, no Chile, vai ocorrer sem a presença de alguns de seus protagonistas, como o presidente cubano Raúl Castro, a argentina Cristina Kirchner e o venezuelano Nicolás Maduro. Pelo lado europeu, estão confirmadas as presenças do presidente francês, François Hollande, dos chefes de governo britânico, David Cameron; da alemã, Angela Merkel, e do premiê grego, Alexis Tsipras, que é ligado a vários governantes latinoamericanos.

Tsipras deve buscar a solidariedade da CELAC para os muitos problemas que a Grécia enfrenta por conta da dívida que chega aos 180% do PIB grego. Dentro da CELAC, a Argentina é a que tem o maior problema, já que está em conflito com fundos especulativos por uma dívida não reestruturada que vem desestabilizando, já há algum tempo, a economia do país.

Assim como em 2013, a UE procura estreitar suas relações com os países da CELAC, região que possui investimentos europeus equivalentes aos do bloco formado por Rússia, China, Índia e África do Sul juntos, um montante em torno de 500 bilhões de euros. Segundo o escritório de estatística Eurostat, os países da CELAC juntos, estão em quinto lugar em parcerias comerciais na região, atrás dos Estados Unidos, China, Rússia e Suíça.

Ao esforço por um diálogo político, se somam também alguns dos chamados desafios globais, como as questões ambientais e problemas comuns como o tráfico de drogas. O objetivo também é buscar alguns consensos antes da Conferência sobre o Clima, que vai ocorrer em dezembro deste ano em Paris, e também a Sessão Especial da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre Drogas, que está prevista para 2016.

Mas são os temas comerciais, claro, o grande destaque na agenda da cúpula. Chile e México, por exemplo, que já possuem acordos comerciais assinados com a UE desde o ano 2000, darão andamento às negociações para incluir inovações em diferentes setores. Já o Equador, que assinou com a UE no ano passado um tratado comercial para se incorporar ao Acordo Multipartes, também assinado por Peru e Colômbia, deve ajustar apenas alguns detalhes.

Ainda assim, na sua chegada ao aeroporto de Bruxelas, o presidente equatoriano, Rafael Correa, declarou à imprensa que pretende propor os cinco eixos da CELAC como uma agenda de trabalho até 2020 também para a UE.

O primeiro deles, segundo Correa, é a luta contra a miséria e a injustiça social. O segundo eixo é o trabalho em temas como educação, ciência e tecnologia. O terceiro ponto refere-se ao meio ambiente. O quarto eixo está vinculado ao financiamento conjunto para o desenvolvimento e o quinto eixo, já acordado pela CELAC e que Rafael Correa pretende propor aos membros da UE, é ajustar iniciativas conjuntas com vistas à cúpula sobre mudança climática em Paris.

As Cúpulas UE-CELAC, que reúnem dirigentes europeus e latinoamericanos e do Caribe, são os principais fóruns de diálogo e cooperação entre essas regiões e acontecem em Bruxelas, capital de fato da União Europeia e a maior área urbana da Bélgica.

O tema escolhido para a cúpula deste ano é “Construir o nosso futuro comum: trabalhar para criar sociedades prósperas, coesas e sustentáveis para os nossos cidadãos”.

O Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que vai presidir a Cúpula, declarou que espera a participação de 61 Chefes de Estado e de Governo.

A primeira Cúpula UE-CELAC ocorreu em Santiago do Chile, em janeiro de 2013 e gerou vários acordos comerciais e de investimentos em áreas voltadas às qualidades social e ambiental dos países das duas regiões.

Esta cúpula poderá ser o cenário também para um acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia. Em maio, Dilma e o presidente do Uruguai, Tabaré Vásquez, disseram que o fechamento do acordo tarifário entre os dois blocos é prioridade para o grupo sul-americano.

Com agências

Ouça abaixo a nota do Cultura Notícias Internacional, da Rádio Cultura FM:

Abaixo, reportagem da TeleSur:

Anúncios

Deje su comentario - Deixe seu comentário - Leave your comment

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s