Cuba denuncia ataques com tecnologia da informação e comunicações


Essas ações demonstram o uso de novas tecnologias, em violação flagrante do direito internacional e da soberania dos Estados

Autor: Prensa Latina | internet@granma.cu
20 de novembro de 2014 23:11:01

O projeto ZunZuneo foi destinado a criar situações de desestabilização em Cuba para trazer mudanças no sistema político da ilha.
WUZHEN, China.- Cuba denunciou na quinta-feira na primeira Conferência Mundial sobre os ataques pela Internet que ocorrem com o uso da tecnologia da informação e comunicação, e chamou para criar mecanismos para proteger o rosto e atenuar as suas consequências.

Wilfredo Gonzalez, vice-ministro das Comunicações de Cuba, fez um discurso no evento que abriu no dia anterior vice-ministro chinês Ma Kai.

Em seu discurso, Gonzalez disse que há exemplos que ilustram a necessidade de regulamentar e fazer uso adequado da Internet. “Podemos citar elementos conhecidos das novas capacidades da rede de espionagem mundial colossal implantado pelo governo dos EUA até ZunZuneo projeto que visa criar situações de desestabilização em Cuba para trazer mudanças no sistema político da ilha”, disse como PL.

Esta nova acção, o vice-ministro disse, é um exemplo de agressão com o uso das tecnologias de informação e comunicação, em flagrante violação do direito internacional e da soberania dos Estados.

Segundo Gonzalez, a primeira Conferência Internet realizada em um momento em crescente preocupação mundial com o aumento da secreta e ilegal para indivíduos, organizações e estados, sistemas de computadores de outras nações para atacar terceiro emprego países.

Ele observou que, desde fevereiro de 2013, a data foi estabelecida envolvimento em ataques cibernéticos em Cuba de milhares de endereços de computador registrados em mais de 150 nações.

Ele relatou que os computadores em Cuba foram controlados remotamente e ilegalmente de vários países para atacar militares, instituições científicas, técnicas e financeiras em países terceiros.

O vice-ministro das Comunicações, disse que, no meio de um esforço nacional para classificar este sector estratégico, surgiu a necessidade de criar mecanismos para assegurar a proteção e preservação do país para novos desafios.

Ele comentou que o uso das tecnologias do ciberespaço e novas informações para causar danos exige que os sistemas de trabalho para prevenir, enfrentar e mitigar as suas consequências em plena adesão aos princípios do direito internacional.

Ele lembrou as palavras do presidente cubano, Raúl Castro sobre “A única maneira de prevenir e enfrentar essas novas ameaças é a cooperação conjunta entre todos os Estados, para evitar que o ciberespaço se torna um teatro de operações militares.”

A conferência nesta cidade da província de Zhejiang comparecer mil delegados de cem países estão representados e maiores empresas de Internet do mundo, incluindo a Apple, Cisco e Baidu chinês.

Tomado de Granma
Postado por JM-ANCREB Às 15:07

Anúncios

Deje su comentario - Deixe seu comentário - Leave your comment

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s